quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

DEUS SEMPRE ESTÁ CONOSCO


Você conhece o rito de passagem da juventude dos índios Cherokees?

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.

O filho se senta sozinho no topo de uma montanha durante toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.

Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado..
Ele pode ouvir toda espécie de barulho..
Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.
Os insetos e cobras podem vir picá-lo.
Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele não remove a venda .

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

Finalmente.....
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos!
Mesmo quando não percebemos, Deus está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'.
Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.

domingo, 28 de novembro de 2010

O QUE É SER CRENTE HOJE EM DIA?


Amados, tomei a liberdade de reproduzir um texto que li no Blog do Pastor Ciro Sanchez Zibordi. É um texto escrito por um Pastor batista, que retrata de forma coerente e categórica a situação das igrejas evangélicas no Brasil. Melhor dizendo: o que é que significa ser crente nos dias de hoje. Leiam e reflitam.

“AINDA SOU DO TEMPO"

Ainda sou do tempo em que ser crente era motivo de críticas e perseguições. Nós não éramos muitos, e geralmente éramos considerados ignorantes, analfabetos, massa de manobra ou gente de segunda categoria. Os colegas da escola nos marginalizavam. Os patrões zombavam de nós. A sociedade criticava um povo que cria num Deus moral, ético, decente, que fazia de seus seguidores pessoas diferentes, amorosas, verdadeiras e puras. Não era fácil. Mas nós sobrevivemos e vencemos. Sinto falta daquela perseguição, pois ela denunciava que a nossa luz era de qualidade, e ofuscava a visão conturbada de quem não era liberto. E, por causa dessa luz, muitos incrédulos foram conduzidos ao arrependimento e à salvação. Mas hoje é diferente.

Ainda sou do tempo em que os crentes não tinham imagens em suas casas, em seus carros ou como adereços de seus corpos. Nós não tatuávamos os nossos corpos e nem colocávamos "piercings" em nossa pele. Críamos que os nossos corpos eram sacrifícios ao Senhor, e que não nos era lícito maculá-los com os sinais de um mundo decadente, um deus mundano e uma cultura corrompida. Dizíamos que tatuar o corpo era pecado. Não tínhamos objetos de culto em nossas igrejas. Aliás, esse era um de nossos diferenciais: nós éramos aqueles que não admitiam imagens em lugar algum. Mas hoje é diferente.

Ainda sou do tempo em que pornografia era pecado. Nós não considerávamos fotos eróticas ou filmes pornô um "trabalho profissional", mas uma prostituição do próprio corpo e uma corrupção moral. Ao nos convertermos, convertíamos também os nossos olhos, e abandonávamos as revistas pornográficas, os cinemas de prostituição e os teatros corrompidos. Os que eram adúlteros se arrependiam e pagavam o preço do que fizeram, e começavam vida nova. Os promíscuos mudavam seu comportamento e tornavam-se santos em todo o seu procedimento. Nós, os adolescentes, deixávamos os namoros e os relacionamentos orientados pelos filmes mundanos, e primávamos por ser como José do Egito, que foi puro, ou o apóstolo Paulo, que foi decente. Mas hoje é diferente.

Ainda sou do tempo em que nos vestíamos adequadamente para o culto. Aliás, além do nosso testemunho moral, nós nos identificávamos pelas roupas. Se pentecostais, usávamos roupas sociais bastante formais, e éramos conhecidos aonde quer que íamos, pois ninguém mais se vestia tão formalmente assim em pleno domingo à tarde. Se de outras denominações, como eu, não chegávamos a esse extremo, mas nos trajávamos socialmente, com o melhor que tínhamos, dentro de nossas possibilidades, porque críamos que, se íamos prestar um culto a Deus, a ocasião nos exigia o melhor, e buscávamos dar o melhor para Deus. Era a famosa "roupa de missa", "roupa de igreja". Mesmo pobres, tínhamos o melhor para Deus. E sempre algo decente: camisas sociais, calças bem passadas, um sapato melhor conservado, um blaizer ou uma blusa bem alinhada. As mulheres usavam seus melhores vestidos, suas melhores saias e seus conjuntos mais femininos. Mas hoje é diferente.

Ainda sou do tempo em que nossos hinos falavam de Cristo e da salvação. Cantávamos muito, e nossas músicas não eram tão complexas como as de hoje. Mas todos acabávamos por decorá-las. Suas mensagens eram simples e evangelísticas: "foi na cruz, foi na cruz", "andam procurando a razão de viver"; "Porque Ele vive, posso crer no amanhã", "Feliz serás, jamais verás tua vida em pranto se findar", "O Senhor da ceifa está chamando"; "Jesus, Senhor, me achego a ti", "Santo Espírito, enche a minha vida", "Foi Cristo quem me salvou, quebrou as cadeias e me libertou", etc. Não copiávamos os "hits" estrangeiros, ou as danças mundanas, mas buscávamos algo clássico, alegre, porém, solene. E dançar o louvor? Jamais! Não ousávamos, nem queríamos; nunca soubéramos que o louvor era "dançante"; as danças deixamos em nossas velhas vidas mundanas. Porém, mesmo não as tendo, éramos alegres e motivados. Mas hoje é diferente.

Ainda sou do tempo em que as denominações e igrejas tinham personalidade. As denominações eram poucas e bastante homogêneas. Sabíamos que a Assembléia de Deus era pentecostal e usava indumentária formal; os presbiterianos eram os melhores coristas que existiam; os adventistas tinham uma fé estranha, numa profetisa semi-contemporânea, mas tinham os melhores quartetos masculinos; os melhores solistas eram batistas, etc. Nossas liturgias eram bastante diferentes: os conservadores eram formais, seus cultos silenciosos, enquanto um orava, os outros diziam amém. Já os pentecostais oravam todos ao mesmo tempo e cantavam a Harpa Cristã. Nós nos considerávamos irmãos, não há dúvida. Mas tínhamos personalidade. Hoje tudo é diferente.

E eu não sou velho! Isso tudo não tem 26 anos ainda! Na década de 80 ser crente era ser assim! Meu Deus, como o mundo mudou! Como a chamada Igreja Evangélica se deteriorou! Hoje eu sinto vergonha de ser considerado evangélico!

Hoje é moda ser crente, ou melhor, "gospel". Você é artista pornô, mas é crente. Você é do forró pé-de-serra, mas é crente. Você é ladrão, mas é crente. Você é homossexual assumido, mas é crente. Não importa a profissão, o comportamento, a moral, a índole, ser crente é apenas um detalhe. Aliás, dá cartaz ser crente: hoje muitos cantores "viram crentes" pra vender seus CD's encalhados, pois o "povo de Deus" compra qualquer coisa. Não há diferença entre o santo e o profano, o consagrado e o amaldiçoado, o lícito e o proibido, o justo e o injusto. Qualquer coisa serve. O púlpito pode ser uma prancha de surf, uma cama de motel ou um palanque eleitoral; a forma não importa. Ser crente é apenas um detalhe, uma simples nomencalatura religiosa.

Hoje os crentes tatuam as suas peles, mesmo sabendo que a Bíblia condena o uso de símbolos e marcas no corpo de quem se consagra a Deus. Criamos nossos próprios símbolos, nossos próprios estigmas e nossas próprias tribos. Hoje há denominações que dão opções de símbolos para que seus jovens se tatuem. O "piercing" deixou de ser pecado, e passou a ser "fashion", e está pendurado na pele flácida de roqueiros evangélicos e "levitas" das igrejas, maculando a pureza de um corpo dedicado ao Deus libertador. Mulheres há que enchem seus umbigos e outras partes de pequenas ferragens, repletas de vaidade e erotismo mundano, destruindo, assim, qualquer padrão cristão de consagração corporal. Meninos tingem seus cabelos de laranja, e mocinhas destróem seus rostos com produtos, pois agora todo mundo faz, e "Deus não olha a aparência". (Ainda bem, pois se olhasse, teria ânsia de vômito...)

Hoje ir à igreja é como ir ao mercado ou às barracas de feira e de artesanato: um evento efêmero, informal, meramente turístico. Não há mais cuidado algum no trajo cultuante. Rapazes vão de bermudas, calções (e, pasmem os senhores, de sungas!), até sem camisa, porque Deus não é "bitolado, babaca ou retrógrado". Garotas usam suas mini-saias dos "rebeldes" e exibem umbigos cheios de "piercings", estrelinhas e purpurinas pingando dos cabelos e roupas, numa passarela contínua do modismo eclesiástico. Se alguém ainda vai modestamente ao culto, seja jovem, seja velho, ou é "novo convertido", ou é "beato". É típico encontrarmos pastores dizendo aos "engravatados": "Pra que isso, irmão? Vai fazer exame laboratorial?" E, continuamente, vão demolindo qualquer alicerce de reverência e solenidade para o ato do culto.

Hoje as nossas músicas pouco falam de Cristo. Somos bitolados por um amontoado de "glórias", "aleluias", "no trono", "te exaltamos", "o teu poder", etc. Misturamos essas expressões, colocamos uma pitada de emoções, imitamos os ícones dos megaeventos de louvores, e gravamos o nosso próprio cd, que, de diferente, tem a capa e o timbre de algumas vozes, talvez alguns instrumentos, mas, no mais, não passam de cópias das cópias das cópias. E Jesus? Ah, quase nunca o mencionamos, e, quando o fazemos, não apresentamos qualquer noção do que Ele é ou representa para o nosso louvor. Não falamos mais que Ele é o caminho, a verdade e avida, não o apresentamos como Senhor e Salvador, não informamos ao ouvinte o que se deve fazer para tê-lo no coração, apenas citamos seu nome ou dizemos um aleluia para ele.

Hoje, entrar em uma igreja é como ter entrado em todas: é tudo igual. O mesmo sistema, as mesmas cantorias, a seqüência de eventos, os rituais emocionais, as pregações da prosperidade, de libertação de maldições ou de mega-sonhos "de Deus" (como se Deus precisasse sonhar, como se fosse impotente ou dependente da vontade humana). Transformamos nossas igrejas em filiais de uma matriz que não sabemos nem aonde fica, mas que se representa nas comunidades da moda. Não há mais corais, não há mais solistas, não há mais escolas dominicais fortes, não há mais denominações com características sólidas, não há mais nada. Tudo é a mesma coisa: uma hora e meia de "louvor", meia hora de "ofertas" e quinze minutos de "pregação", ou meia hora de "palavra profética e apostólica". Que desgraça!

Hoje trouxemos os ídolos de volta aos templos: são castiçais, bandeiras de Israel, candelabros, reproduções de peças do tabernáculo do velho testamento, bugigangas e quinquilharias que vendemos, similares aos escapulários católicos que tanto criticávamos. Hoje não nos atemos a uma cruz sem Cristo, simbólica apenas. Hoje temos anjinhos, Moisés abrindo o Mar Vermelho, Cristo no sermão da Montanha. O que nos falta ainda? Nossas bíblias, para serem boas, têm que ser do "Pastor fulano", com dicas de moda, culinária, negócios e guia turístico. Hoje temos bíblias para mulheres, para homens, para crianças, para jovens, para velhos, só falta inventarmos a bíblia gay, a bíblia erótica, a bíblia do ladrão, a bíblia do desviado. Bíblias puras não prestam mais. E, mesmo tendo essas bíblias direcionadas, QUASE NINGUÉM AS LÊ! Trazemos rosas para consagrar, rosas murchas para abençoar e virar incenso em casa, sal groso para purificar, arruda para encantar, folhas de oliveira de Israel e água do Rio Jordão (Tietê?) para abençoar, vara de Arão, de Moisés, e sabe lá de quem mais! Voltamos às origens idólatras! Parece o povo de Israel, que, ao morrer um rei justo, emporcalhavam o país com suas idolatrias e prostitutas cultuais. E se alguém ousa ser autêntico, é taxado de retrógrado. Com isso, surgem os terríveis fundamentalistas, que abominam tudo, ou os neopentecostais, que são capazes de transformar a igreja num circo, fazendo o povo rir sem parar ou grunir como animais.

Meu Deus, o que será daqui há alguns anos? Será que teremos que inventar um nome novo para ser evangélico à moda antiga? Parece que batista, assembleiano, presbiteriano, luterano ou metodista não define muita coisa mais! Será que ainda haverá púlpitos que prestem, pastores que pastoreiem, louvores que louvem a Deus? Será que seremos obrigados a usar "piercing" para nos filiarmos a alguma igreja? Será que nossos cultos serão naturistas? Será que ainda haverá Deus em nosso sistema religioso?

É CLARO QUE HÁ EXCEÇÕES! E eu bendigo a Deus porque tenho lutado para ser uma dessas exceções. É claro que o meu querido leitor, pastor, louvador, membro de igreja, missionário, também tem buscado ser exceção. Mas eu não podia deixar de denunciar essa bagunça toda, esse frenesi maligno, esse fogo estranho no altar de Deus! Quando vejo colegas cuspindo no povo, para abençoá-los, quando vejo pastores dizendo ao Espírito Santo "pega! pega! pega!", como se fosse um cachorrinho, quando vejo pastores arrancando miúdos de boi da barriga dos incautos doentes que a eles se submetem, quando vejo um evangelho podre arrastando milhões, quando vejo colegas cobrando dez mil reais mais o hotel, ou metade da oferta da noite, para pregar o evangelho, então eu me humilho diante de Deus, e digo: "Senhor, me proteja, não me deixa ser assim!"

Que Deus tenha piedade de nós.”

Wagner Antonio de Araújo
Igreja Batista Boas Novas de Osasco, SP
Av. Internacional, 592 - Jardim Santo Antonio
06126-000 - Osasco - SP - Brasil
Fone: 0xx11 3591-3515
celular do pastor: 0xx11 9699-8633
www.uniaonet.com/bnovas.htm

domingo, 31 de outubro de 2010

SACERDOTES DO SENHOR (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)

De acordo com a Antiga Aliança, o sacerdócio e a realeza eram separados. Entretanto, na Nova Aliança, somos todos feitos reis e sacerdotes na pessoa de nosso Senhor. Enquanto que no Antigo Testamento, o sacerdócio era restrito a uma minoria qualificada (a tribo de Levi, especificamente a casa de Arão), agora, por meio de Jesus, todo crente é constituído sacerdote para o serviço de Deus (Hb 10.19-20; Ef 2.19).
Como sacerdotes, devemos oferecer a Deus sacrifícios espirituais (1Pe 2.5). Esses sacrifícios não têm por objetivo justificar o crente, pois a nossa justificação vem pela fé (Rm 5.1) e pelo sangue de Jesus (Rm 5.9). Na verdade, como sacerdotes de Deus, devemos oferecer sacrifícios espirituais que são demonstrações do nosso caráter cristão.
Segundo a Bíblia, podemos enumerar como sacrifícios espirituais:
1) a oração (Sl 141.2);
2) o louvor (Hb 13.15);
3) o nosso corpo (Rm 12.1);
4) a benevolência (Hb 13.16);
5) a retidão (Sl 4.5);
6) o espírito humilhado (Sl 51.17).
Outrossim, a Bíblia mostra que nós somos reis constituídos por Deus. Aquele que vencer com Cristo tem a promessa de reinar com Ele e sentar com Ele no trono (Ap 3.21; 20.6).

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A VITÓRIA DE CRISTO SOBRE A MORTE E O INFERNO (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)



"E ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; eu sou o Primeiro e o Último;e o que vive; fui morto, mas eis que aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno." (Apocalipse 3.18)


Amados irmãos, Jesus tem as chaves da morte e do hades. Destarte, Ele tem autoridade sobre o poderio satânico e tem poder sobre o império da morte. A Bíblia diz que Cristo pela sua morte, derrotou aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo (Hb 2.14). Em todo o mundo, há na atualidade, centenas de “igrejas” satânicas que adoram ao Diabo e apregoam que Jesus foi vencido quando morreu na cruz. Quão enganados estão, pois a morte de Cristo, na verdade, decretou a derrota do inferno. Ao morrer, Cristo não foi vencido pelo Diabo, pelo contrário, ao morrer na cruz, Jesus despojou e derrotou todos os principados e potestades satânicas, os humilhou publicamente e deles triunfou na cruz! (Vide Cl 2.15). A morte de Cristo representa a mais completa derrota sofrida pelo Diabo e seus seguidores. E para a humanidade perdida, a morte de Cristo na cruz do Calvário é “o castigo que nos traz a paz” (Is 53.5). Cristo, com sua morte, venceu o Diabo.
A Bíblia diz que o Diabo tinha o poder da morte, não tem mais! Cristo venceu o Diabo, e libertou todos aqueles que, por medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão (vide Hb 2.15). Quantos nesse mundo têm medo de morrer! Têm medo da morte porque não sabem o que lhes aguarda no além-vida. Outros têm medo da morte porque são materialistas e pensam que a existência se extingue com o fim da vida. Jesus, no entanto, livra o homem do medo da morte. Dá ao homem uma esperança que não morre!
No mundo, há um adágio que diz: “A esperança é a última que morre”. De fato, "a esperança do ímpio perecerá" (Jó 8.13). Todavia, na Bíblia, há um provérbio (adágio) divino e maravilhoso que ultrapassa os limites humanos e efêmeros, que diz: “O justo até na sua morte tem esperança” (Pv 14.32). Quão grande é a esperança do cristão! Não é uma esperança terrena, vazia e transitória. A esperança do cristão vai além da morte, pois é uma esperança viva (1 Pe 1.3).
Mas isso não é tudo. A obra salvadora de Cristo não era apenas morrer por nossos pecados (1 Co 15.3-4). Cristo morreu por nossas transgressões e ressuscitou para a nossa justificação (Rm 4.25). A Bíblia diz que Deus o ressuscitou, quebrando os grilhões da morte, pois não era possível que fosse retido por ela (At 2.24). A morte não podia reter o Senhor da Vida! Cristo ressuscitou! (1 Co 15.20). Não está mais no túmulo, “Ele ressuscitou” (Mc 16.6).
Ao ressuscitar, Jesus quebrou definitivamente a cadeia da morte, pois Ele jamais morrerá novamente. Assim, Jesus tem poder sobre a morte, isto é, tem as chaves da morte e pode dar vida eterna ao que nEle crer.
Interessante é que na Bíblia há vários casos de ressurreição dentre os mortos, porém, esses casos não tratava-se de uma ressurreição definitiva, pois os ressuscitados voltaram a morrer, como é o caso do filho da mulher sunamita, de Lázaro etc. Jesus é o primeiro a ressuscitar para nunca mais morrer, e no dia do arrebatamento da Igreja os que morreram em Cristo também ressuscitarão para a vida eterna. Portanto, Jesus venceu a morte, e pode garantir ao Seu povo a mesma vitória!
No dia do arrebatamento da Igreja, todos os remidos dirão: “Onde está, ó inferno, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” (1 Co 15.55). Diremos: “Graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo!” (1 Co 15.57). Quando ressuscitou, Jesus não apenas venceu a morte, mas provou que Ele é tudo aquilo que disse ser: o Filho de Deus, o Salvador do mundo, o único Caminho que leva a Deus e o Doador de vida eterna! Jesus é o conquistador da morte!

A PROMESSA DE VENCER A MORTE (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)


Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.

Esta é uma das maiores promessas da Bíblia! Deus amou o mundo de tal maneira e enviou a Jesus, justamente para nos livrar da segunda morte (Jo 3.16). Mas o que é a segunda morte?

As Escrituras Sagradas falam de três tipos de morte:

1) Morte física: é a morte do corpo, na qual separa-se a parte imaterial e a parte material do homem. O corpo vai à sepultura (Sl ); a alma do justo vai para o paraíso (Lc 23.43) e a alma do ímpio vai para o Hades (Lc 16.23); o espírito volta para Deus que o deu (Ec 12.);

2) Morte espiritual: é a morte da alma por causa do pecado (Rm 7.11). É um estado de separação de Deus (Is 59.2); o pecador está morto em delitos e pecados (Ef 2.1);

3) Morte eterna: ocorre após a primeira morte, que é a morte física. Esta é a segunda morte (Ap 22.15), a qual significa que o ímpio estará para sempre separado da presença de Deus. É de fato, o castigo eterno, destinado a todos os que durante a vida terrena continuamente rejeitaram a graça e o perdão de Deus. Esses sofrerão o dano da segunda morte, que é a eterna separação da presença de Deus e a punição eterna do Lago de Fogo (Ap 20.14-15).

Amados, louvemos ao nosso Deus, pois os servos fiéis ao Senhor não receberão o dano da segunda morte. Destarte, fiquemos com a promessa de que "nenhuma condenação há para quem está em Cristo, os quais não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito" (Rm 8.1).

AS DUAS RESSURREIÇÕES (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)


Quando Jesus ressuscitou, ele tornou-se “as primícias dos que dormem” (I Co 15.20), ou seja, foi o primeiro a ressuscitar com um corpo glorificado, que jamais provaria a morte novamente. A palavra ressurreição vem do grego anastasis [anastasis] e significa “tornar à vida”. Fazemos parte da corrente teológica de que Cristo iniciou a “primeira ressurreição”.

Escatologicamente, as Escrituras falam que haverá duas grandes ressurreições: a primeira, dos justos; e a segunda, dos ímpios (Dn 12.2; Jo 5.28-29).

A primeira ressurreição subdividi-se em três momentos ou fases, as quais correspondem às etapas da colheita de trigo no antigo Israel:

- A primeira fase, “as primícias dos que dormem”, ocorreu quando Cristo ressuscitou dos mortos (1 Co 15.20). Nessa ocasião, muitos santos do Antigo Testamento ressuscitaram também, depois dEle. (Mt 27.52-53). Essa primeira fase é semelhante ao primeiro molho de trigo colhido (Lv 23.10-12);

- A segunda fase, “a grande colheita”, ocorrerá quando Cristo vier arrebatar a sua Igreja. Nessa ocasião, os mortos em Cristo ressuscitarão e serão arrebatados juntamente com os crentes fiéis que estiverem vivos (1 Co 15.51-52; 1 Ts 4.14-18). Essa fase corresponde à grande colheita de trigo (Lv 23.10-22);

- A terceira fase, “as respigas da colheita”, é a ressurreição dos mártires da Grande Tribulação, ou seja, é a ressurreição daqueles que serão mortos no período sombrio da Grande Tribulação por não negarem a fé em Jesus e não aceitarem a marca da besta (Ap 6.9-11; 7.9-17; 20.4-6). Essa fase corresponde ao restolho da ceifa, as respigas da colheita (Lv 23.22).

Em contrapartida, a segunda ressurreição, como já escrevemos, é a ressurreição dos mortos ímpios. Diferente da primeira ressurreição, a ressurreição dos injustos se dará em um único momento. Ocorrerá somente ao fim do calendário escatológico deste mundo, pois se dará no dia do Juízo Final (Ap 20.11-15).

Amados irmãos, oremos e vigiemos para que em nós se cumpra a bem-aventurança dos justos ressuscitados: "Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos" (Ap 20.6).

EM CRISTO, TUDO É NOVO! (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)



Amados irmãos, quando recebemos a Jesus como nosso Salvador e Senhor tem início uma nova vida, um novo nascimento, onde todos os vícios foram abandonados, onde toda prisão foi aberta e toda opressão foi aniquilada. Para o salvo em Cristo “as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Co 5.17).

Para nós que cremos no poder do nosso Deus não há mais motivo para ter medo, pois o Senhor é quem nos guarda de todo o mal. Não há por que temer maus presságios, a Bíblia diz que o justo “não temerá maus rumores; o seu coração está firme, confiando no Senhor” (Sl 112.7). Quem tem Deus no seu coração não sofre da Síndrome do Pânico, pois ele tem certeza que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra” (Sl 34.7).

Apesar dos problemas, do stress do dia-a-dia, da turbulência do mundo hodierno, das deficiências do sistema de Segurança Pública ou ainda as dificuldades econômicas, o crente salvo não perde seu sono, pois pode dizer como Davi: “Em paz me deito e logo pego no sono, porque só Tu, Senhor, me fazes repousar em segurança” (Sl 4.8).

O servo do Senhor não é guiado por horóscopo, pelo contrário, renunciando essa abominação, ele lê a Bíblia, medita na Palavra do Senhor e ainda diz com alegria para Deus: “Lâmpada para os meus pés é Tua Palavra e luz para o meu caminho” (Sl 119.105).

O santo servo de Jesus não tem seu destino traçado pelos astros, porque a sua vida está nas mãos de Deus e de Jesus, a resplandecente Estrela da manhã. Ele não teme maldição nem despacho do inimigo, pois crê na Palavra do Senhor que assevera que “nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda” (Sl 91.10).

O crente salvo não vive sofrendo com opressão satânica, pois ele já foi liberto pelo sangue de Jesus e hoje usa a autoridade do nome de Jesus para expulsar demônios e proclamar liberdade aos cativos de Satanás. O crente em Jesus não fica a ver “vultos“ nem se assombra com visões demoníacas, pois agora ele contempla “a formosura do Senhor e aprende no Seu templo” (Sl 27.4b). Quem é salvo não fica ouvindo a voz do inimigo, nem ouve “vozes” quando está sozinho, pois hoje ele somente tem ouvidos à voz do Senhor e é sensível ao que diz o Espírito Santo.

Quem aceitou a Jesus como Salvador já morreu para o mundo, porém não está morto, pois diz como Paulo “vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim” (Gl 2.20). Assim, temos uma nova vida dedicada a Deus e ao próximo, honrando e servindo ao Criador, de fé em fé, firmados na rocha eterna, que é Jesus.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

A PROVIDÊNCIA DE DEUS (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)



"O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá toda as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus."
(Filipenses 4.19)

Amados irmãos, temos a promessa do cuidado constante de Deus em nossas vidas. Destarte, nada em nossa vida acontece por acontecer. Não estamos à mercê do acaso ou da sorte. O Senhor é quem cuida de nós! (1 Pe 5.7).

O cuidado de Deus, que é a sua Providência em nossas vidas, nos ensina que todas as circunstâncias, inclusive as coisas que parecem ser contrárias a nós, tudo está sob o controle de Deus. Afinal, " todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus" (Rm 8.28). Ou seja, mesmo em momentos difíceis e de sofrimento, mesmo em amargas decepções, mesmo quando somos tratados de maneira errada, podemos ter a certeza de que o Senhor agirá em meio a essas situações, para cumprir a sua boa, perfeita e agradável vontade em seus filhos.

A mão que sustenta a tua vida, amado irmão, é a potente mão de Deus (1 Pe 5.6); você está seguro nas mãos do Pai (Jo 10.29) e nunca será esquecido porque Ele gravou teu nome nas palmas de Suas mãos! (Is 49.15-16).

Assim sendo, quero compartilhar o seguinte testemunho acerca da confiança na providência de Deus:

Uma irmã em Cristo muito carente telefonou para um programa evangélico de rádio pedindo ajuda aos irmãos.
Um bruxo que ouvia o programa, resolveu pregar-lhe a seguinte peça: Telefonou para a rádio e obteve o endereço da irmã carente. Chamou seus empregados ordenou que fizesse uma compra e levassem para a nossa irmã em Cristo, com a seguinte orientação:
Quando ela perguntar quem mandou as compras, respondam que foi o diabo que enviou tudo aquilo!
Ao chegar a casa a mulher, os recebeu com alegria e foi logo guardando os alimentos na sua prateleira, mas... não perguntou quem lhe havia enviando.
Os empregados do bruxo, sem saber o que deveriam fazer, provocaram a pergunta:
- A senhora não quer saber quem lhe enviou estas coisas?

A mulher, na maior simplicidade da sua fé, respondeu:
- Não, meu filho. Não é preciso. Quando Deus manda, ate o diabo obedece!

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto" (Rm 8.28).

sábado, 14 de agosto de 2010

Matéria do jornal MANSAGEIRO DA PAZ sobre os vídeos da série PREPARE-SE!




Amados irmãos, acredito ser oportuno divulgar a posição do períodico Mensageiro da Paz acerca da série de DVD's PREPARE-SE!

É importante salientar que o Mensageiro da Paz é um periódico tradicional que se denomina como sendo órgão oficial da Assembléia de Deus no Brasil.

Segue abaixo, em negrito, o artigo publicado:


VÍDEOS SOBRE ILLUMINATI CONFUNDEM EVANGÉLICOS

Nos últimos meses, tem se popularizado no meio evangélico uma série de vídeos sobre uma teoria especulativa acerca do projeto de governança mundial profetizado pela Bíblia para o final dos tempos e que já estaria em andamento no mundo. Esses vídeos, disponibilizados gratuitamente na grande rede de computadores, têm sido, inclusive, reproduzidos de forma caseira e distribuídos por muitos crentes impressionados com o seu conteúdo. Porém, a escatologia neles contida mistura verdades com mentiras, boatos com fatos, evidências com informações absolutamente equivocadas. Tratam-se dos vídeos acerca dos supostos Illuminati, que já são uma verdadeira febre entre muitos crentes do Brasil afora, mas que contêm erros graves.

Segundo esses vídeos, há décadas que um grupo de homens muito ricos domina o mundo, manipulando governos, a economia mundial, a produção dos alimentos e todas as notícias que lemos nos jornais ou vemos na TV e nos grandes sites de notícias da internet. Esse grupo, dizem, chama-se Illuminati, uma entidade secreta que reúne homens poderosos desejosos de implantar na Terra um governo mundial. De acordo com os vídeos, são eles que teriam elegido de fato os últimos presidentes dos Estados Unidos, teriam "produzido a farsa" de que o homem foi à lua e "forjado" os atentados ao World Trade Center e Pentágono (sic); e, ainda segundo eles, todas as igrejas evangélicas estariam praticamente envolvidas, consciente ou inconscientemente, pela Nova Ordem Mundial, ou seja, o governo mundial. Como dá para perceber, são falácias, mas que acabam enganando muitos justamente porque essas mentiras são apresentadas nos vídeos ao lado de outros fatos, misturando verdade com ficção.

Sobre os atentados de 11 de Setembro de 2001, há uma teoria da conspiração que foi popularizada pelo livro L'Effroyable Imposture (2002), do jornalista e ativista político antissemita e de esquerda Thierry Meyssan. Com o lançamento do livro, a teoria de Meyssan se espalhou na internet, mas trata-se de uma tremenda fraude, cujos argumentos (muitos distorcidos já em seu nascedouro) já foram todos respondidos um a um pelo FBI e pelo Departamento de Estado Norte-Americano, e em artigos tanto da imprensa dos EUA como da imprensa européia, inclusive a francesa, mal o livro fora lançado. Livros chegaram rebatendo ponto a ponto sua teoria, repleta de informações equivocadas. Desacreditado, Meyssan saiu da Europa e passou a morar na Síria, de onde trabalha fazendo matérias para uma revista semanal russa, a "Odnako".

Os Illuminati Existem?
Para início de conversa, os Illuminati de fato sequer existem. Grupos como Illuminati, Golden Dawn (Aurora Dourada), Priorado de Sião e Templários já existiram, mas há muito tempo não existem mais. O Priorado de Sião, que se dizia uma sociedade secreta fundada no século 11, foi, na verdade, criado em 1956 e se dissolveu no mesmo ano. Os Templários existiram de 1096 até 1312, quando o papa Clemente V resolveu dissolver a ordem. A sociedade ocultista e teosófica Aurora Dourada nasceu em 1880 e desfez-se em 1905. Atualmente, pequenos grupos, nascidos recentemente, alegam ser a continuação da ordem, mas nenhum tem realmente ligação direta com o original Aurora Dourada nem conseguiu ter a pequena influência que esse grupo tinha no final do século 19 na Inglaterra. O Illuminati, por sua vez, foi uma sociedade secreta criada na Alemanha em 1776 e extinguida em 1788, e caracterizada por seguir um iluminismo radical. Todas as teorias que colocam os Illuminati como tendo início antes dessa época ou como existindo até hoje tratam-se de lendas. O nome Illuminati só sobrevive hoje em minúsculos grupos de aficcionados pela história do Illuminati original. Há até um deles no Brasil. Eles se dizem herdeiros dos antigos Illuminati, mas não têm obviamente nenhuma ligação direta com o Illuminati original do século 18, e também nenhum desses grupos têm ligação entre si e muito menos exercem alguma inflência significativa sobre a sociedade.

Outro detalhe é que Illuminati, Golden Dawn e Priorado de Sião eram sociedades secretas antigas que não chegaram, nenhuma delas, a ter o poder de influência que a maçonaria, por exemplo, tinha pelo menos até o início do século 20. Hoje, o Illuminati, Golden Dawn, Priorado de Sião e Templários só existem mesmo em romances policiais mirabolantes que rendem lucrativos roteiros de filmes de ficção, como O Código da Vinci, baseado em obra ficcional homônima do falacioso Dan Brown.

Sérgio Pereira Couto, jornalista, historiador e escritor, considerado o maior especialista em sociedades secretas no Brasil, ressalta sobre os Illuminati que "páginas e mais páginas de internet apresentam os esquemas mais malucos e os atribui ao grupo, incluindo ramificações e controle total de outras ordens", e acrescenta que, desde o século 18, "muito se falou sobre essa ordem e pouco se provou".

Agora, o que é verdade, e já foi alvo de matéria do jornal Mensageiro da Paz, é que existem grupos que reúnem realmente homens poderosos na política, na cultura e na economia mundial, e que pregam uma Nova Ordem Mundial - isto é, uma governança mundial -, mas nada que seja do tipo sociedade secreta. São eles o Council on Foreign Relations (CFR, na sigla em inglês), dos EUA, e o Clube Bilderberg, que reúne fraternalmente líderes internacionais nas áreas de política, economia e cultura. Ambos foram fundados no século 20. Destes, apenas o Clube Bilderberg é mais reservado. O CFR, ao contrário, realiza palestras, eventos e tem publicação oficial. Já o Clube Bilderberg é, no máximo, o que se pode chamar em nossos dias de "sociedade discreta" (aliás, é praticamente impossível imaginar em nossos dias uma sociedade absolutamente secreta, já que estamos em uma época em que a comunicação e o jornalismo investigativo são cada vez mais fortes).

É fato que as reuniões do Clube Bilderberg não são abertas à imprensa ou ao grande público, mas seus membros são todos conhecidos e todos os anos sabe-se quando e onde serão realizadas as reuniões. Inclusive, a pauta desses encontros de vez em quando acaba vazando para a imprensa, sendo publicada em sites e até em jornais. Outro ponto importante a se frisar é que esses grupos (CFR e CB) não são "onipotentes", no sentido de terem o poder pleno de implantar tudo o que idealizam ou "controlar toda a mídia e o governo de nações", mas tentam, sim, dentro da esfera de influência de seus membros, influenciar o maior número de pessoas para aquilo que consideram ser o melhor para o mundo - e na maioria das vezes acabam conseguindo seu intento, por terem o apoio da maioria dos grandes formadores de opinião da mídia ocidental de hoje na defesa de suas propostas. O CFR e o CB defendem, por exemplo, um governo mundial, moeda única, legalização de drogas, "casamento" homossexual. Nem todos os seus membros concordam com todos os pontos dessa pauta, mas a maioria, sim.

Estejam os membros do CFR e do Clube Bilderberg conscientes disso ou não, o que defendem em sua maioria aponta para as profecias bíblicas relativas ao final dos tempos. Em suas ações, sem dúvida, influenciam a sociedade. Só não se pode chamar isso de "controle total", mas apenas de grande influência; nem afirmar que o Clube Bilderberg, e muito menos o CFR, é uma "sociedade secreta"; e nem chamar esses grupos ou seus membros de Illuminati, pois este não mais existe. Há propostas dos antigos Illuminati do século 18 que se assemelham às propostas do CFR e do CB? Sim, sem dúvida, mas estes não têm ligação com aqueles, apenas ideologias parecidas.

O Homem Não Foi à Lua?
Um dos grandes absurdos desses vídeos de escatologia especulativa que pregam o controle mundial dos supostos Illuminati manipulando a sociedade é a teoria conspiratória de que o homem não foi à lua, que isso teria sido uma farsa estratégica dos Illuminati. Alguns dos argumentos usados para tentar provar isso são:

(1) "Se Armstrong foi o primeiro homem a pisar na lua, quem é que tirou a foto dele descendo?";

(2) "Se na lua não tem umidade, por que fotos da viagem à lua mostram pegadas dos astronautas?";

(3) "Como é que os astronautas fizeram tantas fotos na lua, mas em nenhuma delas aparecem estrelas no espaço visto da lua?";

(4) "Por que há duplicidade de sombras nas imagens dos astronautas na lua?";

(5) "Se a temperatura na lua é de 100 graus durante o dia e -150 graus à noite, como os astronautas conseguiram andar lá?";

(6) "Se na lua existe vácuo, por que a bandeira dos EUA ficava tremulando nas imagens da viagem à lua?";

(7) "Se o homem já foi à lua, por que ainda não voltou?";

O astrônomo Ronaldo Mourão, um dos mais respeitados cientistas brasileiros, explica:

(1) "O homem que aparece na foto descendo do módulo lunar não é Armstrong, mas seu companheiro Buzz Aldrin, que foi o piloto do módulo e o segundo homem a pisar na lua. Enquanto ele descia, Argmstrong fotografava. Aliás, a maioria das fotos clássicas da lua, que muita gente acredita serem de Armstrong, são, na verdade, de Aldrin".

(2) "Não é preciso água para deixar pegadas, como qualquer beduíno do deserto pode demonstrar. O que permite pegadas no solo lunar é a areia extremamente fina e porosa da lua. É um pó muito, muito fino, semelhante ao cimento, à cinza vulcânica ou ao pó compacto que as mulheres usam em maquiagens. Quando você pisa em algo assim, fica uma marca profunda. É por isso que as pegadas se formaram".

(3) "Os astronautas com certeza viram muitas estrelas, mas não conseguiram fotografar nenhuma, porque a fotografia tinha limites em 1969. Para conseguir captar as estrelas, os astronautas teriam que ter deixado uma exposição alta na câmera e, com o brilho do Sol ali do lado, se fizessem isso não teriam conseguido registrar mais nada na superfície. Talvez com uma máquina moderna de hoje em dia eles conseguiriam, mas era difícil e isso não era a prioridade naquele momento".

(4) "A fonte principal de luz na lua é o sol, assim como na Terra, mas o sol não é a única fonte. Há também a Terra e a luz emitida pela própria câmera do astronauta. Na lua, a Terra ilumina a área tanto quanto a lua ilumina a Terra em uma noite de lua cheia".

(5) "O local escolhido para o pouso era exatamente no meio da penumbra, onde ainda não era nem dia e nem noite completamente, para proteger os astronautas. A rotação da Lua dura cerca de 27 dias - tempo de sobra para Armstrong e Aldrin ficarem seguros por ali."

(6) "A bandeira possui uma haste vertical e uma horizontal, que mantém a bandeira aberta. E no momento em que o astronauta está fincando a bandeira no solo, ela realmente tremula, mas isso devido ao movimento que o astronauta faz na haste. Quando ele para de mexer na haste, a bandeira continua mexendo por um tempo (esse tempo seria menor aqui na terra devido ao atrito do ar) e depois pára, isso porque em um ambiente sem atmosfera não há atrito, então a energia do movimento inicial demora a se dissipar. Quando a bandeira pára de tremular, ela não se move novamente. Se houvesse vento, veríamos poeira e a bandeira tremulando sem o astronauta a ter movimentado".

(7) "O homem não voltou à lua ainda por questões políticas. Depois que os EUA chegaram à lua, os soviéticos resolveram brincar de 'eu nem queria mesmo' e deram uma bela desacelerada em seu programa lunar, mantendo apenas as sondas Luna. A URSS preferiu gastar seu tempo e dinheiro com a estação espacial Mir, e nessa eles derrotaram os americanos, que jamais conseguiram colocar a sua Freedom em órbita e acabara adaptando o projeto para virar a Estação Espacial Internacional. A Nasa, por sua vez, viveu uma crise financeira numa época em que o governo americano acreditava que o povo não se importava com o programa espacial. Mais tarde, preferiu concentrar seus esforços nos ônibus espaciais, com a esperança de tornar as missões mais rotineiras. Agora, no entanto, tudo parece que vai mudar. Com a aposentadoria dos ônibus espaciais no fim de 2010, os americanos estão investindo em novas naves: as Orion, que parecem muito mais com as Apollo do que com os gigantescos ônibus. A principal missão da nova nave é levar o homem de volta à lua".

Prudência
Os vídeos especulativos pregam ainda uma absurda conspiração judaica (o que dá aos vídeos um tom antissemita) e falam ainda do "perigo das vacinações", exagerando muito em algumas notícias sobre a vacina contra o vírus influenza A (H1N1) e distorcendo um pouco outras relacionadas ao assunto. Outro assunto abordado é o cada vez mais popular microchip implantado em mãos, trazendo informações da pessoa e sinal de sua localização. Quanto ao microchip, é possível que ele seja usado no governo mundial? Sim, é possível. O próprio Mensageiro da Paz já publicou nos últimos anos duas matérias sobre essa possibilidade. Não podemos afirmar com certeza, mas, no máximo, cogitar, com base em Apocalipse 13.16,17, que fala do "sinal da besta", sem o qual ninguém poderá circular, comprar ou vender. Lembremo-nos, porém, que nos anos 80 pensava-se que o "sinal da besta" seria o código de barras. Agora, fala-se em microchip. Não sabemos se até lá será isso mesmo ou outra tecnologia ainda mais avançada. O que sabemos é que tal "sinal" haverá, porque é a Bíblia quem o diz.

Enfim, sabemos que os sinais da proximidade da Segunda Vinda de Jesus estão aí. Sabemos também, pela Palavra de Deus, que haverá um governo mundial e, inclusive, vemos cada vez mais o aumento do poder dos organismos internacionais. Apenas devemos ser prudentes para não nos deixarmos levar por uma escatologia meramente especulativa e por imaginações humanas. Para isso, em primeiro lugar, devemos checar e analisar as informações antes de aceitá-las; e em segundo lugar, mas não menos importante, sempre ter o cuidado para não irmos além do que a Bíblia nos diz. Assim, evitaremos tanto sermos enganados quanto sermos precipitados em nossas afirmações.

Fonte: Mensageiro da Paz, Agosto de 2010

ESCATOLOGIA ATERRORIZANTE - As fontes da série PREPARA-SE! (Publicação autorizada pelo autor: Pastor Ciro Sanchez Zibordi)


Amados irmãos, como muitos de vocês, eu assisti aos vídeos da série PREPARE-SE, e após vê-los, confesso que os achei um tanto sensacionalista, e meio que teoria da conspiração.
Na verdade, eu cheguei a seguinte conclusão: o apresentador dos vídeos utiliza-se de algo verdadeiro (a Bíblia e seus temas: a Vinda de Jesus, a Grande Tribulação etc) mas mistura com recortes de vários documentários feitos por ATIVISTAS AMERICANOS ANTI-GOVERNO ou ativistas que simplesmente são radicais ou paranóicos na defesa dos direitos civis americanos!(Sendo que muitos dos criadores dos documentários nunca foram cristãos e alguns são até inimigos da fé cristã).

Agora, para mim o maior problema é que muitos irmãos estão ficando também paranóicos, ou até vendo ocultismo em tudo. Muitos irmãos estão realmente aterrorizados (em vez de alertas) e outros estão desconfiando das igrejas e dos pastores.

A vinda de Jesus está próxima? Sim!
O Reinado do Anticristo é iminente? Sim! Mas cremos que o Anticristo se manifestará após o arrebatamento da Igreja.

Amados, este post tem o objetivo de mostrar quais são as fontes utilizadas pelo autor da série PREPARE-SE! Segue abaixo em negrito a reprodução autorizada do post publicado no Blog do Ciro (http://cirozibordi.blogspot.com)

Muitos apreciadores da série Prepare-se não sabem que o seu apresentador sequer é cristão! Ele afirma, nos vídeos, que não tem religião e faz questão de atacar o cristianismo, que estaria, segundo ele, sob o domínio dos “senhores do mundo”.

Valendo-se de argumentações superficiais, o tal “o contador de histórias” afirma que não há necessidade de templos e que a grande maioria dos pastores evangélicos é mercenária. Recentemente, ele gravou um vídeo pelo qual afirmou que pertenceu à Assembleia de Deus durante dezesseis anos e saiu dessa igreja por que foi enganado durante todo esse tempo. Ele se opõe até mesmo à Ceia do Senhor, que é uma das ordenanças do Senhor Jesus, e cita um documentário sobre mitologia para contestá-la.

Ao tomar conhecimento da minha preocupação quanto à grande confusão que tem causado entre os desavisados a série aterrorizante Prepare-se, o meu amigo e pesquisador Marcos Lopes enviou-me informações muito importantes sobre o assunto. Lopes, que milita na área de apologética há muitos anos (conhecemo-nos no seminário teológico, no início da década de 1990), é ministro do Evangelho e policial militar em São Paulo.

“O mais interessante, para não dizer trágico, é que as ideias do apresentador da série Prepare-se não são suas, propriamente. Muito do que ele apresenta são teorias conspiratórias tiradas de documentários de Alex Jones, David Icke, Aaron Russo, Jordan Maxwell, G. Edward Griffin, Jim Marrs, Bill Hicks, George Carlin, John Taylor Gatto, Charlotte Iserbyt, Dave von Kleist, Stan Monteith e outras pessoas com ideias conspiratórias. Alex Jones, um dos mais citados, nasceu no Texas e é uma pessoa bem controvertida. Seu primeiro documentário que expõe suas ideias data de 1997: America Destroyed by Design”, afirma Lopes.

Alex Jones possui vários sites centrados em notícias e informações relativas a violações de liberdade civil e ao governo global. Ele foi uma das pessoas que criticaram o cerco do governo norte-americano à seita Davidiana, no Texas, em 1993. Depois de 51 dias de cerco pelo FBI, a aludida seita, dissidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia, teria posto fogo a sua sede. Mais de oitenta pessoas morreram, entre elas 25 crianças. Segue-se que um dos gurus das teorias conspiratórias apresentadas na aludida série em DVD é uma pessoa controvertida, que estimula a população contra o governo estadunidense.

Outro nome bastante citado pelo apresentador de Prepare-se é David Icke, um antissemita que acredita em extraterrestres. Ele, que já se envolveu com o espiritismo, teria recebido uma mensagem de um espírito identificado por “o guardião”. E este lhe disse: “Você é o escolhido para curar a Terra”. O curioso é que há cristãos desavisados levando os tais DVDs para as suas casas, acreditando cegamente em informações aterrorizantes e paranoicas. Alguns revoltam-se contra pastores e até contra a Bíblia, dando ouvidos a falsos mestres (1 Tm 4.1-3; 2 Tm 4.1-5).

O pesquisador Marcos Lopes também assevera: “O que torna bastante perigosa a série Prepare-se é a semelhança de algumas de suas argumentações com o controvertido filme anticristão Zeitgeist. Este foi amplamente refutado pelo Dr. Ben Witherington — considerado um dos grandes estudiosos do Novo Testamento. Zeitgeist é dividido em três partes. A primeira ataca a historicidade da Bíblia e afirma que Jesus, de modo antropomórfico, englobou várias entidades solares de outras culturas antigas. O autor do filme, Peter Joseph, tenta demonstrar que a história de Cristo é basicamente um plágio da história do deus egípcio Hórus. O cristianismo, de acordo com Zeitgeist, seria uma invenção usada para enganar e manipular as massas”.

Para Lopes, as informações aterrorizantes contidas nos tais DVDs e nos canais do YouTube estão gerando uma espécie de paranoia entre muitos evangélicos. E já há cristãos deixando de tomar certas vacinas importantes que o governo oferece à população, como já abordei nesta série sobre a escatologia aterrorizante. O motivo seria o medo de um suposto complô do governo contra o povo. Os vídeos fomentam uma revolta contra os governos norte-americano, brasileiro e todo tipo de governo.

Lopes informa que nos Estados Unidos já existem milícias em que até as crianças são ensinadas a usar armamentos para se defenderem do governo. Tudo porque acreditam que o governo norte-americano está tramando exterminar a população. Esse estímulo à revolta contra o governo — verificado na série Prepare-se — é antibíblica e contrária aos mandamentos contidos em Romanos 13.1-6. Aqui, a Palavra de Deus apresenta o nosso compromisso de nos sujeitarmos ao governo.

“O perigo letal para a igreja brasileira não é a Nova Ordem Mundial e toda essa história de conspirações mundiais, e sim o de se tornar renitente aos avisos de perigo que as Escrituras apresentam para o tempo do fim ( 2 Ts 2.3,11; 1 Jo 4.6). O apresentador de Prepare-se, assim como Alex Jones, não podem provar suas teorias conspiratórias. Ao contrário, suas declarações carecem de comprovações empíricas; elas se parecem com as teorias projetadas por seitas apocalípticas, como o Ramo Davidiano” — conclui Lopes.

Portanto, como se não bastassem as heresias destruidoras que hoje estão em grande parte das igrejas evangélicas brasileiras (cf. At 20.28-30. 2 Pe 2.1-3), temos agora milhares de cristãos evangélicos acreditando em conspirações que só existem nas mentes de Alex Jones, David Icke e seus discípulos. A Nova Ordem Mundial, em certo sentido, existirá. No entanto, os vídeos da mencionada série aterrorizante têm contribuído para causar uma grande desordem na igreja brasileira.

Com temor e tremor,

Ciro Sanches Zibordi




OBS: O Pastor Ciro é autor de vários livros publicados pela CPAD, tais como Erros que os pregadores devem evitar, Evangelhos que Paulo jamais pregaria, Mais erros que os pregadores devem evitar, Erros que os adoradoradores devem evitar, entre outros. RECOMENDO A LEITURA DOS LIVROS E A VISITA NO BLOG DO CIRO.

Sidcley Rodrigues do Amaral

sábado, 7 de agosto de 2010

O Cordeiro de Deus (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)



"No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. "
(João 1.29)


Amados, queremos, dessa feita, trazer uma reflexão sobre os benefícios advindos do sacrifício que Jesus fez por nós.

Antes de tudo, queremos dizer que a Bíblia faz menção de três cordeiros notáveis:
1) O cordeiro que foi sacrificado em lugar de Isaque (Gn 22.13);
2) O cordeiro pascal que foi sacrificado pelo povo de Israel (Ex 12);
3)e Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).

Podemos fazer o seguinte paralelo: O primeiro cordeiro foi morto para salvar um indivíduo; o segundo cordeiro (representando todos os cordeiros pascoais) foi morto para salvar um povo; Jesus, o Cordeiro de Deus foi morto para salvar todo o mundo!

Enquanto os cordeiros do Antigo Testamento salvaram a vida temporal de indivíduos, o Senhor Jesus é o Cordeiro de Deus que nos salva da condenação eterna, através de um sacrifício superior do que qualquer feito na Antiga Aliança (Hb 9.24, 27; 10.12).
Na verdade, todos os cordeiros sacrificados na Páscoa judaica tipificavam o sacrifício vicário de nosso Senhor Jesus, que morreu em nosso lugar, e cujo sangue derramado fala mais alto e melhor do que o sangue de Abel! (Hb 12.24)

Levando-se em conta a temática do presente Post, queremos nos deter na figura do Cordeiro Pascal e na sua semelhança com a pessoa e obra de Cristo.
A própria Bíblia aponta que o cordeiro pascal é um tipo de Cristo (I Co 5.7).

Segundo vemos no Antigo Testamento, o cordeiro pascal deveria ser escolhido conforme critérios estabelecidos pelo próprio Senhor, a saber:
a) Tinha que ser macho de um ano (Ex 12.5). É por isso que acerca de Jesus, a Bíblia diz “Um menino nos nasceu, e um filho se nos deu...” (Is 9.6);
b) Era sem defeito (Ex 12.5). Jesus é um cordeiro “imaculado e incontaminado” (I Pe 1.19);

c) Escolhido de antemão (Ex 12.3). A Bíblia diz que Cristo, o Cordeiro de Deus, foi “conhecido antes da fundação do mundo” (I Pe 2.20);

d) Nenhum osso devia ser quebrado (Ex 12.46). Nenhum dos ossos de Jesus foi quebrado (Jo 19.36);

e) Deveria ser morto à tarde (Ex 12.6); Jesus morreu à tarde (Mc 16.34-37);

f) O sangue do cordeiro pascal tinha o propósito de salvar da morte os primogênitos das famílias de Israel (Ex 12.13). O sangue de Jesus derramado na cruz do Calvário nos salva da condenação eterna (Hb 9.22).

g) O cordeiro pascal era o “sacrifício da Páscoa do Senhor” (Ex 12.27). Jesus “nossa Páscoa, foi sacrificado por nós” (I Co 5.7).
O Senhor Jesus ao consumar o plano da salvação nos garantiu o livramento da ira futura, pois da mesma forma que o sangue do cordeiro pascal aspergido nas ombreiras e na verga das portas era um sinal nas casas dos israelitas para que a mortandade não alcançasse seus primogênitos, o sangue de Jesus é também um sinal de vitória e livramento em nossas vidas!
"Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas" (Ap 22.14).
Vejamos amados, a eficácia do sangue de Jesus em nossas vidas:
a) justificados pelo sangue (Rm 5.9);
b) redimidos pelo sangue (Ef 1.7);
c) comprados pelo sangue (I Pe 1.18-19);
d)temos acesso à Deus pelo sangue (Hb 10.19);
e) somos purificados pelo sangue (I Jo 1.7);
f) somos vencedores pelo sangue (Ap 12.11).

De fato, a vitória é nossa pelo sangue de Jesus. O sangue derramado por nós é suficiente para nos justificar, nos redimir, comprar as nossas vidas e nos purificar de todo pecado!
Se o pecado quer dominar a sua vida, saiba que Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!

"E, agora, porque te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor" (At 22.16)

sábado, 17 de julho de 2010

SEJA FIEL! Há uma coroa reservada para você! (escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)


Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida. (Apocalipse 2.10)

Amados irmãos, a passagem bíblica acima faz parte da mensagem que o Senhor Jesus entregou para a igreja cristã da cidade de Esmirna, situada na região que era conhecida como Ásia Menor.
Historicamente, a tribulação de dez dias pela qual passaria a igreja em Esmirna refere-se às dez perseguições imperiais, movidas contra os cristãos, desde o Imperador romano Nero César até o Imperador Diocleciano.
Jesus não disse que iria livrar os crentes de Esmirna, do sofrimento. Mas é certo que Ele esteve presente com os seus servos durante todo o processo de provação. “Nada temas”, Ele diz.
O Senhor às vezes permite que passemos por situações difíceis e dolorosas, contudo Ele nunca nos deixa só. Se Ele não quer nos livrar da tribulação é porque Ele nos livrará na tribulação. Todavia, não podemos ignorar que às vezes também, o Senhor permite o martírio, como aconteceu com muitos cristãos de Esmirna e ainda ocorre hoje pelo mundo afora.
Agora, dois fatos são conclusivos: 1) Jesus sempre está conosco, dizendo “Nada temas”; 2) Se Deus quer, Ele pode nos livrar.
Lembre-se dos três jovens hebreus, amigos de Daniel, que embora sob forte ameaça do rei da Babilônia, permaneceram fiéis ao Senhor Deus. Em certo momento, os três servos de Deus disseram ao rei: “Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste” (Dn 3.17-18).
O três servos do Senhor reconheciam que Deus era poderoso para livrá-los do poder do fogo, mas mesmo assim estavam preparados para irem até às últimas conseqüências em sua fidelidade à Deus.
Amados, a recomendação sê fiel até a morte tem dois sentidos: significa ser fiel a Deus até o fim da vida, como também ser fiel mesmo que seja preciso morrer pela fé. A recompensa da nossa fidelidade é o recebimento da Coroa da Vida.

Bem-aventurado é o crente que suporta, com perseverança, a provação, porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida (Tg 1.12).
Na Bíblia, coroas significam galardões. No texto sagrado, temos a menção de quatro tipos de coroas:

1) Coroa Incorruptível (1 Co 9.25): é a recompensa dada aos servos do Senhor por terem se guardado da corrupção do mundo, recusando o viver segundo a carne;

2) Coroa da Justiça (2 Tm 4.8): é a recompensa destinada a todos quanto amam e aguardam a segunda vinda do Senhor;

3) Coroa de Glória (1 Pe 5.4): é a recompensa reservada aos servos do Senhor que fielmente trabalharam na Seara, motivados por amor a Deus e à Sua Obra, sem intenção de obter lucro e vantagens pessoais, nem tampouco exercendo domínio sobre o rebanho de Deus;

4) Coroa da Vida (Tg 1.12; Ap 2.10): é a recompensa entregue às testemunhas de Cristo que forem fiéis durante as provações, inclusive com risco da própria vida.

Somos chamados para sermos atalaias de Deus; somos testemunhas de Deus (Is 43.10) e de Jesus (At 1.8). No Novo Testamento, a palavra testemunha em grego é martyr e significa alguém disposto a defender uma causa até as últimas conseqüências. Daí deriva a palavra mártir.
A história da Igreja Cristã está consagrada pelo martírio de milhares de servos de Deus, os quais resolutamente amaram a Cristo mais do que as próprias vidas. Somos hoje a semente que germinou, a qual foi plantada com o sangue e as lágrimas dos nossos irmãos que foram perseguidos.
Ainda hoje há perseguição contra o Evangelho em muitos países deste mundo. Devemos, à semelhança de nossos irmãos perseguidos, estarmos dispostos a manter levantada a bandeira da Graça de Deus mesmo que para isso tenhamos que ir até as últimas conseqüências. Na verdade, é exatamente isso o que a verdadeira testemunha de Jesus deve estar disposta a fazer. É isso o que Deus espera de nós.
É maravilhoso saber que Aquele que recebeu uma coroa de espinhos irá agraciar os servos vencedores com tais coroas, que são símbolos dos galardões reservados aos salvos.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

ARREBATAMENTO: A Esperança da Igreja (escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)






Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. (Apocalipse 3.10)



Amados irmãos, temos nessa passagem biblica a promessa escatológica que retrata a essência da esperança do cristão: o arrebatamento da Igreja!



O Senhor promete ao servo fiel, que guardou a Sua Palavra, que o livrará da hora de tribulação que há de vir sobre todo o mundo, para provar os que habitam na terra. Esse versículo tem recebido as mais diversas interpretações, o que, por conseguinte, deu origem a vários entendimentos divergentes quanto a ocasião do arrebatamento da Igreja.


Alguns estudiosos rejeitam o aspecto escatológico desse versículo, e dizem que Jesus estava se referindo a um momento histórico de perseguição já ocorrido no primeiro século de nossa era, do qual os crentes em Filadélfia seriam preservados. Não entendemos que esse versículo tenha uma interpretação puramente pretérita, pois nas cartas às igrejas da Ásia existem muitas alusões a temas escatológicos.


Outrossim, aqui Jesus se refere a um período definido de “tentação” (no grego philips, que significa Tribulação), que há de vir sobre todo o mundo (perceba a escala mundial desse evento), para tentar, isto é, provar os que habitam na terra (outra vez o aspecto global desse evento). Acreditamos que esse período de provação é a Grande Tribulação, a qual foi vaticinada por Jesus, no sermão profético do Monte das Oliveiras (Mt 24.21).


Defendemos que o versículo em comento trata do livramento que a Igreja terá, de não passar pela Grande Tribulação. Não obstante, há correntes de interpretação que divergem acerca de qual ocasião será a Igreja arrebatada. Existem três principais correntes acerca do assunto:


- Os pós-tribulacionistas: defendem a tese de que a Igreja passará pela Grande Tribulação, somente sendo arrebatada após o término da mesma;

- Os midi-tribulacionistas: acreditam que a Grande Tribulação propriamente dita somente ocorrerá na segunda metade dos sete anos de todo o período. Os midi-tribulacionistas entendem que a Igreja passará pelos três primeiros anos da Grande Tribulação, sendo arrebatada após isso;

- Os pré-tribulacionistas: entendem que a Igreja não passará pela Grande Tribulação, pois Jesus arrebatará a Igreja antes do início dos sete anos desse evento.


Este blog defende a corrente pré-tribulacionista, por acreditar que é a interpretação mais coerente com as Escrituras Sagradas acerca do assunto e é a que honra mais a expectativa e esperança da Igreja.



Acreditamos que a segunda vinda de Cristo se divide em duas fases distintas: a primeira para arrebatar a Igreja (antes do início da Grande Tribulação); e a segunda fase, quando Cristo virá com a Igreja para reinar no mundo (ao fim da Grande Tribulação).


Além da promessa do versículo em comento, a Bíblia declara diversas vezes que a Igreja não passará pela Grande Tribulação, também chamada de “a ira vindoura”, como vemos nos textos abaixo (grifo nosso):


- E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, a Jesus, que nos livra da ira futura (1 Ts 1.10);


- Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo (1 Ts 5.9);


- Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira (Rm 5.9);


- Vigiai, pois, em todo o tempo, para que sejais dignos de escapar de todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem (Lc 21.36).


Os defensores da corrente pós-tribulacionistas afirmam que em parte alguma na Bíblia há como provar que a Igreja será arrebatada em duas fases distintas. No entanto, há na Bíblia mais de 300 referências que dizem respeito à Segunda Vinda de Cristo, as quais, quando são cuidadosamente analisadas, demonstram que o retorno de Cristo será em duas fases.


A primeira fase é o arrebatamento da Igreja, chamado de “a vinda”, do grego parousia, que quer dizer presença. A segunda fase é chamada de o retorno ou aparecimento glorioso, do grego ephipania, que quer dizer manifestação gloriosa.


Acreditamos que a primeira fase da segunda vinda de Cristo trata apenas do arrebatamento da Igreja, abrangendo assim, os salvos em Jesus. Após o arrebatamento, a Igreja participará do Tribunal de Cristo (2 Co 5.10) e das Bodas do Cordeiro (Ap 19). Enquanto isso, o mundo estará passando pelo período sombrio da Grande Tribulação.


A segunda fase é o aparecimento glorioso ou a manifestação gloriosa da sua vinda, onde Cristo virá com a sua Igreja (que havia sido arrebatada) a fim de vencer o Anticristo, julgar as nações, receber Israel convertido e estabelecer seu reino milenial.


Logo abaixo mostramos categoricamente a verdade bíblica acerca da segunda vinda de Cristo em duas fases distintas.

FASES DA VINDA DE JESUS









































PRIMEIRA FASE


SEGUNDA FASE


Ocorre o arrebatamento da Igreja (1 Ts 4.16-17)


Ocorre o retorno glorioso (Ap 19. 11-20)


Cristo vem para os seus (Jo 14.3)


Cristo vem com os seus (Cl 3.4)


Será invisível para o mundo (1 Co 15.52)


Será visível para o mundo (Ap 1.7)


Cristo vem como o Noivo (Mt 25.1-6)


Cristo vem como Rei dos reis (Ap 19.16)


Cristo vem para receber a Igreja (Jo 14.3)


Cristo vem para ser recebido por Israel arrependido (Zc 12.10)


Cristo vem para as Bodas (Mt 25.10)


Cristo vem para julgar as nações (Mt 25.31-45)


Cristo vem para as virgens (Mt 25.1)


Cristo vem para as nações (Mt 25.32)


Cristo vem até os ares (1 Ts 4.17)


Cristo colocará seus pés no Monte das Oliveiras (Zc 14.3-4)


É a bendita esperança (Tt 2.13a)


É o glorioso aparecimento (Tt 2.12b)


Cristo vem como a Estrela da manhã (Ap 22.16)


Cristo vem como o Sol da Justiça (Ml 4.1-2)


Cristo vem para levar a Igreja para a cidade celestial (Jo 14.15; Ef 5.27)


Cristo vem para estabelecer seu reino milenial (Jr 3.17; Zc 8.3)



Convém dizer que não concordamos com a tese de que a Igreja passará por metade do período de sete anos da Grande Tribulação, com base em todos os versículos já citados e ainda com o fato de que a Bíblia declara que existe na presente Dispensação um agente que impede que o Anticristo se manifeste ao mundo. Vejamos o texto de 2 Tessalonicenses 2.6-8 (grifo nosso):


E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque o mistério da iniqüidade já opera; somente há um que, agora, o detém até que do meio seja retirado; e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda.


Acreditamos que aquele que detém a manifestação do iníquo é o Espírito Santo que habita a Igreja de Deus; e que após o arrebatamento da Igreja, o Anticristo será revelado, dando início à Grande Tribulação. Outrossim, nessa passagem é dito que o Anticristo será derrotado por Jesus pelo esplendor da sua vinda, ou seja, a manifestação gloriosa da vinda de Cristo ao fim da Grande Tribulação.



Destarte, amados irmãos em Cristo, devemos aguardar com confiança a vinda de Jesus para arrebatar a Sua Igreja. Que possamos alegremente dizer: Maranata! Ora, vem, Senhor Jesus! (Ap 22.20).

O Senhor que bate na porta (escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)



Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo. (Apocalipse 3.20)
Estas palavras foram ditas pelo Senhor Jesus para uma igreja cristã, a saber, a igreja na cidade de Laodicéia, que estava situada na região conhecida como Ásia Menor, no Oriente Médio.
O mais espantoso é a posição onde Jesus se encontrava: do lado de fora da porta!

Esse é o lugar onde Jesus é deixado quando a pessoa se ocupa mais consigo do que com a comunhão com Deus. Isso acontece quando Jesus é deixado em segundo plano e buscamos mais as coisas terrenas. O mesmo acontece quando deixamos que o pecado domine os nossos corações. Não há lugar para a coexistência com Cristo, pois Ele mesmo disse que ninguém pode servir a dois senhores (Mt 6.24).
Jesus, no entanto, não desiste de ninguém! Nem mesmo de uma congregação inteira, como a de Laodicéia, que o deixou do lado de fora.
O apelo de Jesus à "igreja morna" continua sendo um convite amoroso e persistente a todos que vivem na mornidão espiritual. Saiba que Jesus é o Deus da restauração!

Ele disse: "Eis que estou à porta" - Ele "está", ou seja, não se cansou de esperar, não se cansou de bater, ainda aguarda que você abra a porta de seu coração. Essa porta somente poderá ser aberta por você. Jesus não empurra a porta, nem derruba a porta, nem ameaça invadir como um salteador ou ladrão. Ele espera que a porta seja aberta pelo dono da casa.
Ele disse: "...estou à porta e bato" - o Senhor não está inerte em frente da porta fechada. Ele está batendo na porta. E Ele bate na porta do coração do homem de várias maneiras: através da pregação da sua Palavra, Ele bate na porta; através do louvor que é cantado, Ele bate na porta; pela doutrina pastoral, Ele bate na porta; no pedido de perdão que alguém nos faz, Ele bate na porta; através da mensagem neste blog, Ele bate na porta. De uma coisa tenho certeza: Jesus sempre bate na porta fechada do coração endurecido a fim de restaurar a comunhão com Ele.
Ele disse: "...se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta" - Quantas pessoas ouvem a voz de Deus e não a reconhecem. Muitos não são mais sensíveis à voz do Espírito Santo. É preciso reconhecer que está vazio, para depois ser cheio de Deus. É preciso reconhecer que é pecador, para ser perdoado. Outrossim, é preciso deixar o orgulho e humilhar-se aos pés do Senhor para podermos entender a sua voz. A porta somente pode ser aberta pelo lado de dentro. Jesus não entrará de outra forma. Ele só entra se nós deixarmos. Ele só nos usa se dermos espaço para Ele nos usar. O Senhor fará maravilhas em nosso meio se buscarmos a santificação (Js 3.5). Ele derrama água para o que está sedento e vem a Ele (Is 44.3; Jo 7.37). Quem pede, recebe; quem busca encontra (Mt 7.8). Se você clamar, Deus responde (Jr 33.3). O Senhor somente entrará na casa de quem abrir a porta.
Ele disse: "...entrarei em sua casa, e cearei com ele, e ele comigo" - Não importa o quanto você tenha ficado distante de Deus, mesmo estando numa igreja. Jesus não leva em conta as vezes que você negligenciou o compromisso para com Ele. O Senhor quer te restaurar à comunhão. Se você abrir a porta, com arrependimento e humildade, Jesus fará isso na tua vida. O Senhor restaurará o primeiro amor e o fervor espiritual. Veja o que Ele faz: quando a porta é aberta, Jesus entra e faz um banquete! Ele sempre quer cear conosco. Ele sempre quer ter comunhão conosco. O Senhor quer ouvir as nossas orações, quer receber nossos jejuns, quer abençoar a obra que fazemos para Ele. O Senhor quer abençoar a nossa casa e a nossa vida.
Amado leitor, Deus quer sempre está habitando em teu coração. Esteja sempre aberto para Ele.
"E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração" (Jr 29.13).