quarta-feira, 29 de junho de 2011

O SOAR DA ÚLTIMA TROMBETA (Escrito por Sidcley Rodrigues do Amaral)




Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao soar da última trombeta. Pois a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados (1 Coríntios 15.51-52)


Na passagem supracitada, a vinda de Jesus está relacionada ao soar da "última trombeta". Mas que trombeta é esta?


Antes de tudo, convém dizer que a volta de Jesus é um dos assuntos mais solenes e importantes da Bíblia. De Gênesis à Apocalipse se fala na pessoa de Jesus. Mas, enquanto dezenas de passagens descrevem a primeira vinda do Messias, para nascer e morrer em nosso lugar, outras centenas de versículos bíblicos se ocupam com a mensagem de que Jesus voltará!


Para se ter uma idéia de como esse assunto é importante, saiba que a volta de Jesus é mencionada 1.845 vezes em toda a Bíblia, sendo 1.527 no Antigo Testamento e 318 no Novo Testamento.


Por ocasião da volta de Cristo para arrebatar sua Igreja, o apóstolo Paulo vaticina que "o mesmo Senhor descerá do Céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus" (1 Ts 4.16). Novamente, o apóstolo faz menção da trombeta, quem sem dúvida é a mesma que é citada na Carta aos Coríntios, na passagem bíblica que abre este comentário.


A Bíblia menciona muitos instrumentos musicais, contudo o mais citado é a trombeta. Na Antiga Aliança, os toques das trombetas já eram muito importantes: Israel marchava ao toque das trombetas; os sacerdotes em várias solenidades tocavam as trombetas.


Vemos, no Livro de Números, que havia duas trombetas de prata, que eram tocadas em várias ocasiões especiais:


1)Eram tocadas para a convocação da congregação do deserto: quando ambas eram tocadas, então toda a congregação era convocada; quando apenas uma era tocada, somente os princípes (maiorais de cada tribo) eram convocados (Nm 10. 2-4);


2)Eram tocadas para a partida dos arraiais das tribos de Israel: quando eram tocadas retinindo, partiam os arraiais alojados da banda do oriente; e na segunda vez que eram tocadas retinindo partiam os arraiais da banda do sul (Nm 10.2, 5-6);


3)Eram tocadas também retinindo quando os israelitas iam à peleja contra os seus inimigos (Nm 10.9): ocorreu, por exemplo, quando o povo de Israel conquistou a cidade de Jericó (Js 6.16) e quando Gideão, com seus trezentos homens, pelejou contra os midianitas (Jz 7.20);


4)Eram tocadas em ocasiões festivas: nas solenidades, nos princípios dos meses, nos dias de alegria para o povo, e sobre os holocaustos e os sacrifícios pacíficos que eram oferecidos a Deus (Nm 10.10).


Outrossim, se ouvia o toque de trombeta em ocasiões de juízo divino (Am 3.6) e quando era anunciado o advento de um novo rei (1 Rs 1.39).


A simbologia é tão forte que a Bíblia diz que ao proclamarmos a Palavra de Deus devemos levantar a voz como trombeta (Is 58.1; Jl 2.1).


Na Epístola aos Colossenses, o apóstolo Paulo nos ensina que as solenidades e cerimônias da Antiga Aliança são "sombras das coisas futuras" (Cl 2.17). Daí que os toques de trombetas prefiguravam eventos também futuros.


Da mesma forma que os filhos de Israel partiam do seu acampamento ao toque das trombetas, quando a trombeta de Deus tocar a Igreja partirá deste mundo para entrar na Canaã Celestial!
Da mesma forma que as trombetas eram tocadas em ocasiões de festa e de alegria, assim também a trombeta de Deus será tocada para anunciar o início da época mais feliz da Igreja de Deus: a época em que estaremos para sempre com o Senhor!


Da mesma forma que se ouvia o toque de trombeta para anunciar a posse ou a chegada de um rei, também os redimidos ouvirão o soar da trombeta de Deus anunciando a chegada do Rei dos reis e Senhor dos senhores para arrebatar a sua Igreja!


A Bíblia diz que tudo o quanto foi escrito no Antigo Testamento, para o nosso ensino e esperança foi escrito (Rm 15.4). De fato, o soar da última trombeta fala da esperança da Igreja.


Enquanto o mundo se fecha dentro de um fatalismo histórico, sem expectativas, sem futuro, a Igreja caminha neste mundo com uma esperança (I Ts 4.13-18; I Co 15.19; Fp 3.20-21; I Jo 3.3).


Mas porque a trombeta do arrebatamento da Igreja é chamada de "a última trombeta"?


É chamada de a última trombeta porque assinala o fim da Dispensação da Graça e da Era da Igreja aqui na Terra (Am 8.11).


Não podemos confundir essa trombeta com as sete trombetas que serão tocadas por sete anjos, e são mencionadas no livro de Apocalipse. As sete trombetas não anunciam a volta de Jesus para arrebatar a sua Igreja, mas são anunciadoras dos juízos de Deus que serão derramados no mundo durante o período terrível da Grande Tribulação (Ap 8-11).


A última trombeta da Dispensação da Graça será tocada por ocasião do advento, do regresso de Cristo à Terra para nos levar consigo para as Mansões Celestiais, para o Santo Reinado.


No entanto, muitos estarão desapercebidos quando a última trombeta ressoar. Segundo a Bíblia, quando a trombeta do arrebatamento tocar, haverá:



1)Surpresa


Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao Dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o Dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem (Mt 24.36-39)


2) Separação


Estarão dois numa cama; um será tomado, e o outro será deixado. Duas estarão juntas, moendo; uma será tomada, e a outra será deixada. Dois estarão no campo; um será tomado, e o outro será deixado (Lc 17.34-36)


Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e o que não o serve (Ml 3.18)


Amados irmãos, que estejamos preparados para o dia da volta de Jesus. Que todos os dias possamos viver em obediência à Sua Palavra, e assim, conservarmos a sublime esperança de que não ficaremos confundidos, mas que seremos, pela infinita misericórdia de Deus, arrebatados para encontrarmos com o Senhor nos ares, quando a última trombeta soar!
Maranata! Ora vem, Senhor Jesus!


Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras (1 Ts 4.18).

Um comentário: